11 de Setembro: Conspiração Interna (Loose Change) Versão Portuguesa

loosechange2

Comentário Global:

A cada documentário que vejo sobre o 11 de Setembro novas provas surgem que suportam o inegável. As Torres Gémeas não caíram por causa do fogo, não houve nenhum avião a embater no Pentágono e muito menos algum avião caiu em Shanksville, Pennsylvania.

Não podemos permitir que o governo Norte Americano nos entupa com o seu relatório falacioso. Este comentário é um dos melhor e mais completos que já vi sobre o 11 de Setembro de 2001, a nova Pearl Harbour. Contudo, é impossível que todas as provas e discussões sejam abordadas num único documentário pelo que é necessário assistir a muitos outros.

Este filme está inteiramente em Português e muito bem narrado! Sinceramente, sinto-me orgulhoso por ver que há qualidade nacional! (desculpem o patriotismo) E que há quem em Portugal também se preocupe com estes temas. Fica a baixo o link para o filme:

http://www.11desetembro.net/

EDIT: Não percam a ligação com TAG: 9/11 Coincidences (Coincidências do 11 de Setembro) e 911 Docs.

Ler mais deste artigo

Lucros entre Janeiro e Setembro de 2008 em Portugal

Edp e Galp (Energia) -> 1048 Milhões de euros

Galp Energia (Combustíveis) -> 521 Milhões de euros

Pt e Zon (Telecomunicações) -> 489 Milhões de euros

Sonae (Distribuição) -> 53 milhões de euros

Jerónimo Martins (Distribuição) 121 Milhões de euros

Cimpor (Cimento) -> 151 Milhões de euros

Brisa (Auto-estradas) -> 110 Milhões de euros

CGD (Banca e Seguros) -> 437 Milhões de euros

BES (Banca e Seguros) -> 335 Milhões de euros

BPI (Banca e Seguros) -> 34 Milhões de euros

Santander/Totta (Banca e Seguros) -> 398 Milhões de euros

BCP (Banca e Seguros) -> 345 Milhões de euros

Onde está a crise?

9/11 A problemática das explosões nas Torres

911explosion1

Um dos grandes factos que se aponta para sustentar a teoria de que a queda das Torres foi devida a uma demolição controlada são as explosões que ocorrem ao longo do edifício enquanto o topo está a cair.

Contudo, apesar de à primeira vista esta hipótese das explosões ser credivel, nós podemos questioná-la. Será que estas explosões se devem realmente a explosivos detonadores com o objectivo de demolir o edifício ou são simplesmente causadas pelo aumento da pressão dentro do edifício?

Pessoalmente não sei avaliar se a queda do topo poderia causar pressão suficiente para fazer os andares mais a baixo explodir, ou qualquer tipo de material que estivesse neles, como botijas de gás ou afins.

Com o Video a baixo ‘tento’ ajudar a exclarecer esta problemática, ou pelo menos clarificar mais alguns pontos. A meu ver, o video que se segue suporta muito bem a hipótese de explosões propositadas ao longo do edificio, principalmente porque estas ocorrem muito abaixo da zona de queda do topo.

O Video é pequeno e não é Narrado pelo que não precisa de legendas. Fica aqui o link.

http://www.911docs.net/911_rare_demolition_evidence.php

Ajudem a comentar.

Mutuo com: mastiphal

11 Setembro Efeito Cascata (911 Ripple Effect)

Está na hora de nos virarmos com mais força e atenção para a problemática do 11 de Setembro. Já quase passaram 10 anos e tudo parece esquecido. Mas não pode ser.

9/11 Ripple Effect é um documentário produzido por William Lewis e Dave vonKleist que expõe provas tremendas que contradizem por completo a versão oficial dos acontecimentos como transmitida pelo governo Norte Americano.
Já vimos inúmeras provas em Zeigeist, O Filme, que suportam o facto dos atendados do 11 de Setembro terem sido uma trama, uma conspiração. Contudo, este documentário trás-nos muitas mais provas, muitos mais acontecimentos que eu até ao momento desconhecia completamente.

Google.Video
Torrent
– Ligação com TAG – 911 Docs e 911 Coincidences.

Ler mais deste artigo

Jesus, O Mito?

Desde que vimos o Zeitgeist pela primeira vez que a ideia de que Jesus Cristo é apenas uma figura mitológica paira nas nossas cabeças.

Ultimamente tenho tido imensas conversas sobre o assunto. A maioria com ateus. A questão que se tem colocado é mesmo essa: apesar de no filme Zeitgeist nos dizerem que a figura de Cristo é mitológica, será que é mesmo?.. e as fontes do filme são fidedignas?

Penso que todos temos noção do impacto social que seria provar que Jesus não passa de um mito copiado. Que as histórias da Bíblia são mitos e alegorias penso que disso não há dúvidas (pelo menos entre nós), as respostas ficaram, uma vez mais, bem frisadas à conversa com um Professor de História no outro dia. Mas mesmo aceitando Jesus com um homem perfeitamente normal, sem nada de poderoso ou divino, será que ele existiu?

Eu pessoalmente sou defensor da tese de que Jesus não passa de uma fantasia. Mas atendendo às hipóteses cépticas que apesar de não aceitarem Cristo como divino também questionam o que nos é apresentado no Zeitgeist, eu gostaria de iniciar aqui uma busca entre o pessoal interessado que ajude a suportar a hipótese do Cristo mitológico.

O objectivo é colarem links nos comentários de forma a, entre todos, obtermos a maior quantidade de informação possível, pelo menos a disponivel na internet, quer a favor quer a contradizer a hipótese apresentada, inicialmente no Zeitgeist.

Fica aqui então a proposta.

Vamos lá, duma vez por todas, tentar desvendar o Mistério.

Zeitgeist refutado…

Ontem o nosso colega de blog João Teixeira mostrou-me uma série de vídeos no youtube intitulados de: “Zeitgeist Refutado”. Fazendo uma breve pesquisa e vísualizando um pouco dos vídeos deparei-me com o facto que este vídeo era uma espécie de ”Zeitgeist” ao “Zeitgeist 1”, nomeadamente à primeira parte onde se abomina as ideologias religiosas e tudo o nela advêm.

Tomei o filme como uma espécie de recurso à boa moda dos recursos judiciais onde se pretende refutar a ideia da não existencia de qualquer Deus ou de um Jesus salvador.

O nome original do vídeo é: “ZEITGEIST: O ESPÍRITO DE UMA ÉPOCA… REFUTADO”!! Não será este nome um pouco ambíguo? O proprio “Zeitgeist” não passa de uma refutação ao espírito existente nos ultímos 2000 anos?

O vídeo tenta com base em 8 pontos, tentar refutar tudo o que nos é instruido no “Zeitgeist original”, irei aqui então enumerar esses pontos, mostrando o que se tenta incutir no “Zeitgeist Refutado” e por consequente refutar a própria refutação. (Peço desculpa pela extensão mas tal foi necessário):

Ponto 1– Foi o cristianismo criado para controlo social?

As bases da refutação destes ideais impostos atravéz do “Zeitgeist original ” tem como base passagens bíblicas, onde Jesus ou outras personagens fictícias (sim, fictícias…) existentes na bíblia, condenam a elite política de esbelecer e impor regras autoritárias ao seu povo, ou mais recentemente na nossa era o chamado “Big Brother” onde a tendencia é um controlo maior das pessoas com a implementação de dispositivos electrónicos implantados no nosso corpo. Especialmente mostrando passagens do “Apocalipse” de João onde através de uma aparição Deus mostrou-lhe o que está para vir, como guerras, fome, pobreza, “impérios da besta” e um domínio mundial de um só governo controlado por 10 reis. Estes são os argumentos. O cristianismo não foi criado para controlo social porque o próprio abomina o controlo social, MAS afirmam no “Zeitgeist refutado” que muitas vezes este foi usada com base nisso mesmo… DAHHHHH!!!!

Ponto2 – Quem são as fontes das ideias do Zeitgeit?

Aqui falam do facto de o primeiro terço do “Zeitgeist original” ter como base cerca de 200 fontes exteriores para corruburar os seus ideais, mas que estas fontes são citadas inumeras vezes repetidamente como Timothy Freke e Peter Gandy citado 7 vezes, Acharya S e D.M. Murdock (que se trata da mesma pessoa) 29 vezes e outros tantos que são citados inúmeras vezes. A base para estes outros trabalhos “anti-cristo” germinou nas mentes de outros tantos que na sua altura eram homosexuais, professores ateus ou até mesmo praticantes druidas e místicistas. O livro da autora Helena P. Blavatsky, “A doutrina secreta” que é citado no “Zeitgeist original” fazia parte dos livros preferidos de Adolf Hitler para fundamentar os seus ideias de raça superior e que portanto não podia ser uma boa base para nenhuma teoria. O que o autor deste “Zeitgeist aldrabado” não se apercebeu é que a citação existente n”A doutrina sectreta” é apenas uma refutação à história de Moisés e em nada tem a ver com os ideais de raça superior ou outro tipo de tendencias existentes no livro de Helena Blavatsky. Esquecem-se no entanto que o cristianismo tem como base APENAS um lívro escrito à 1800 anos e que as edições actuais pouco ou nada de oríginal têm em comparação com os primeiros existentes.

Ponto3 – Está o evangelho baseado na astrologia?

Esta começa bem e acaba que é um espectáculo. A ideia é que a Vírgem Maria é uma analogia ao signo Vírgem e que Belem significa “casa do pão” como também é conhecida a constelação Virgem (“Zeitgeist original”). Aqui vão buscar uma autora de lívros do paranormal e da astroligia que em dada altura disse: ”Não podemos criar histórias a partir de nome como Virgem, Leão, Touro. Porque é que a história não começa com Aquário? Se fosse assim então Leão estaria antes de Virgem, ainda que Leão é supostamente Jesus. Parece-me que isto viria depois de Virgem e não antes na história”. Para um autor de um documentário cristão que é contra qualquer tipo de explicação paranormal e que tenta refutar qualquer indício astrológico existente na história de Jesus, certamente vão buscar uma boa fonte, não acham?

A refutação do ideal descrito no “Zeitgeist original” de que Jesus é o Sol, e os seus doze apóstolos são as 12 constelações ou signos por onde o Sol passa no seu movimento de translacção, têm uma série de coincidencias demasiado grandes para apenas tentarem ter como base em alegorias ou transcrições biblicas que na realidade corroboram mais com a ideia descrita no “Zeitgeist original” do que com as suas refutações… Novamente aqui a base são citações biblicas, que para além de terem sido escritas muito depois dos factos acontecerem estes mesmo foram alterados ao longo dos tempos.

Neste ponto há uma passagem interessante, o profeta Isaías disse: “Voces que estão cansados com os seus muitos conselhos, deixem agora os astrólogos, aqueles que profetisam penas estrelas, e predizem pela lua, levantem-se e salvem-se do que virá sobre voces. Veja, pois, eles se tornarão como restolho, o fogo os queimará, eles não se podem salvar do poder das chamas.” Isaías 47:13-14

Okey, lá em cima os astrólogos eram uns porreiros que até corroboravam com as ideias do “Zeitgeist refutado”, mas agora já são maus e serão condenados para todo o sempre.

Ponto4– É Jesus Cristo um mito pagão?

Novamente aparecem os avisos bíblicos de que apareceriam muitas descrenças religiosas, e falsos cultos com diferentes interpretações. Certamente quem segue o OdeTriunfante já ouviu falar de Horus, que alegadamente e segundo o “Zeitgeist refutado” existiam vários deuses e versões do deus Horus e que não existe nenhum texto escrito acerca da história de Horus anterior ao nascimento de Jesus. Tudo falsamente errado, os primeiros indícios de Horus datam do ano 3000 a.c., também só apareceram os indicios da existencia de Jesus algures 50 a 100 anos após o seu nascimento, não foi o seu nascimento tão importante que vieram pastores e reis de todos os lados idolaterarem-no. Então onde estão os registos escritos desses reis? Onde estão os registos do Rei Herodes que declarou a morte de todos os bébes aquando do nascimento de Jesus para garantir que ele era o unico rei dos Judeus! Ah pois, existe um livro chamado a bíblia… Certamente existe uma fusão do dívino de Horus ao longo dos tempos, mas também é obvio que no cristianismo isso aconteçe, caso do natal que era uma crença pagã de adoração ao solestício de Inverno, assim como a páscoa que era uma celebração da passagem do inverno para a primavera e simbolizava a fertilidade dos campos (dai o coelho da páscoa), durante a época das colheiras. Outras semelhanças com Átis (1200 a.c.), Mithra (1200 a.c.), Krishna (900 a.c.) e Dionisio (500 a.c.) têm fontes com bases crenças pré-existentes a Jesus. O autor de “Zeitgeist refutado” deve de ter feito uma pesquisa muito paupérrima pois certamente teria sabido que todas estas dívindades existiam antes sequer de Jesus ter supostamente nascido e que defacto as semelhanças com a História de Jesus são reais e era aquilo que os seus seguidores da alturas acreditavam. Novamente, a bíblia avisava que eles viriam… Mas eles já existiam antes sequer da bíblia. A arca de Noé também é aqui citada como sendo a versão verídica dos factos porque a outra arca descrita na Epopeia de Gilgamesh, simplesmente a arca desta epopeia era uma espécie de cubo enquanto que a arca descrita na bíblia segundo engenheiros navais tinha possibilidades de superar ventos ciclónicos e mares revoltos. Moisés não se trata de uma cópia do mito de Sargão de Acádia porque o mito surge algures entre 2039 e 624 a.c., Moisés foi datado do ano 1400 a.c. e de que ambas as histórias são um arquetipo porque na altura era comum os pobres abandonarem as crianças e os ricos as adoptavam.

Ponto5– Existem alguma evidencia histórica de Jesus Cristo?

Aqui as alegações passam para o ponto do ridículo.

O autor de “Zeitgeist refutado” afirma que as evidencias para a existencia de Jesus são muito maiores do que as evidencias da existencia de grandes marcos históricos como Julío César, Confúcio, Buda ou Alexandre o Grande. Se os historiadores dessem o mesmo nível de rejeição a estes do que deram a Jesus toda a história teria de ser reformulada. Pura ideotice, Confúcio está enterrado em Qufu na China. De Alexandre o Grande existem bustos datados do seu tempo, bem como relatos e evidencias da sua existencia e das suas conquistas por todo o médio oriente. Júlio César está superdocumentado, existem bustos, cartas escritas por ele, leis, moedas cunhadas com a sua cara, lívros de sua autoria. É uma marca histórica inapagável por completo, evidências esmagadoras… As figuras históricas como o Imperador Tibério Cesar, regente do império romano na altura do nascimento de Jesus Cristo, têm sempre objectos palpáveis como bustos, moedas cunhadas, leis autorgadas por eles, cartas e pergaminhos, inclusivé livros onde chegaram os originais aos nossos dias. É claro que não podemos negar a existencia de uma pessoa só porque não deixou nada escrito ou uma figura de pedra com a sua cara, mas também isso não pode ser evidenciado como prova da sua existencia. De seguida mostram uma série de transcrições de historiadores pós-Jesus que afirmavam que os cristãos ou gnósticos da época sofriam porque acreditavam na existencia de Jesus. É isso uma prova de que Jesus viveu? NÃO!!!! Todos os escritores citados neste “Zeitgeist refutado” escreveram aquilo com base nos crentes de Jesus da altura, não houve um único autor que vivesse no mesmo tempo de Jesus. Se nós nascessemos e nos fosse imposto que o Capuchinho vermelho realmente existiu não o tratavamos da mesma forma? A destruição de Jerusalem (Cidade sagrada para os Judeus que supostamente crucificaram Jesus)após a morte de Jesus não é uma evidencia de que Jesus tenha existido, isto é pura demagogia!!!! Será que a destruição de Lisboa em 1755 devido ao terramoto também foi a ira de Deus? Ou então a cidade de Pompeia ou Sodoma e Gomorra… As evidencias nos Evangelhos foram escritas Após a suposta morte de Jesus. Não existe evidencia nenhuma de que Paulo de Tarso (O maior impulsionador do cristianismo nos prímordios) tenha visto ou co-habitado como Jesus.

Ponto6– Jesus Ressuscitou?

Novamente aqui não há nenhuma evidencia de que Jesus tenha existido quanto mais morto e ressuscitado ao terceiro dia. O que nos mostram no “Zeitgeist refutado” tem por base o que os apóstolos disseram e o suposto túmulo de Jesus que foi encontrado vazio. Tudo porque se o túmulo não tivesse sido encontrado vazio após o ressuscitamento era impossível o dispersar do cristianismo em Jerusalém… Mais uma vez partimos para a suposição, tudo não passa de uma história criada com base em contos e histórias passadas da boca de um para o ouvido de outro. O tal túmulo só foi supostamente descoberto recentemente, e sim estava vazio, como o estavam outros tantos que foram vitimas de pilhagem e saque ao longo dos tempos. Os especialistas da matéria têm enormes dúvidas em afirmar que aquele se trata do real túmulo de Jesus Cristo.

Ponto7– E sobre a Inquisição e as Cruzadas?

Okey neste ponto estou de acordo com o autor de “Zeitgeist refutado” mas não com base naquilo que Deus e Jesus afirmaram de “ama o proximo” antes porque tive uma boa mãe que me ensinou os principios morais de viver em cidadania, não matarás, não roubarás, não cobicarás as pertences dos outros… Se não fosse através destes principios básicos o mundo viveria em pleno caos maior do já existente hoje em dia… Os principios de Deus estão inerentes na base de todo o ser humano. Os bombistas-suicidas têm conciencia que é o seu Deus Alá que os manda abraçar uma carga de explosivos e implodirem-se… Como de costume as afirmações bíblicas de que esses falsos profetas viriam não são provas crediveis para a existencia de uma divindade superior. Toda a teoria tem sempre alguem que a tenta refutar, alguns são melhor sucedidos do que outros…

Ponto8– O que ensina a Bíblia?

As afirmações aqui descritas no “Zeitgeist refutado” é de que no “Zeitgeist original” a bíblia é mal interpretada de um ponto de vista moral. Errado, a bíblia é apenas um conjunto de histórias com um principio moral em comum, da mesma forma que a carochinha, os três porquinhos ou o capuchinho vermelho são contados às crianças de forma a distinguirem o bem do mal, a não mentirem e a não falarem com estranhos! O “Zeitgeist original” não diz para não seguirmos os 10 mandamentos por exemplo, nem para começar-mos a acreditar noutra religião. Aqui afirma-se que a bíblia ensina a termos fé de forma a ganharmos a vida eterna e não a ganhar a mesma com base em obras feitas.

Toda esta enorme refutação à propria refutação é baseada em factos reais e verídicos rápidamente encontrados na internet ou do conhecimento geral da maioria de todos nós. Nenhuma refutação foi criada com intuito de alterar a precepção do leitor deste post para a verdade.

Com base nisto acabo este post com esta frase: “Graças a Deus que sou Ateu!”

EDIT:

Aqui fica o link para o Zeitgeist: Refutado

A Desilusão de Deus (The God Delusion)

The God Delusion, de Richard Dawkins, ou em português A Desilusão de Deus publicado na editora Casa das Letras.

Um livro que me mostrou que é possivel argumentar racionalmente contra a crença religiosa e supersticiosa. Um livro que não deixa lugar para palavras ou argumentos baseados em trocadilhos ou interpretações incorrectas de teorias muito válidas. Como por exemplo, o FACTO da evolução.

De forma magistralmente bem argumentada, Dawkins mostra-nos como a mente religiosa perturba a sociedade actual e como nos impede de ser unos uns com os outros. A cima de tudo, o autor apela a um elevar da nossa consciência e mostra-nos através de exemplos como a nossa consciência é muito limitada inclusivé para questões práticas banais.

Não seria importante imprimir de vez em quando mapas do mundo com o polo Sul na parte de cima para nos relembrarmos que o hemisfério Norte não é o centro do mundo e que de modo algum fica para cima? Foi só um exemplo.

Dawkins batalha incesantemente na atrocidade que é a doutrinação de uma criança desde a sua nascença. Entupimos as nossos pequenos com crenças e mais superstições, ensinando-lhes o que pensar e não como pensar. Isto certamente deve ser combatido! Inclusivé, é apresentado um caso de uma rapariga que após ser molestada aos 7 anos de idade continuava a ter mais pesadelos com o Inferno a que pudesse ir parar após a sua morte do que por ter sido molestada. Felizmente, essa outrora criança é agora uma mulher sensata que conseguiu sair literalmente dessa prisão Infernal e ajuda outras pessoas a fazer o mesmo!

O que escrevi a cima nem sequer chega a um mini-resumo muitíssimo pobre do que é o livro. É seguramente um livro para todos os públicos, desde ateus a religiosos. Onde a posição do autor é, sem margem para dúvidas, uma posição de combate ao pensamento religioso.

A baixo ficam os títulos principais dos capitulos, traduzi-os diractamente do meu indice em inglês. Possivelmente a versão em português poderá ter uma tradução ligeiramente diferente. Os capitulos subdividem-se em subcapitulos com titulos mais especificos dentro do tema.

Capítulo 1 – Um profundo religioso não-crente

Capítulo 2 – A Hipotese de Deus

Capítulo 3 – Os Argumentos para a Existência de Deus

Capítulo 4 – O porquê de quase certamente não existir Deus

Capítulo 5 – As Raízes da Religião

Capítulo 6 – As Raízes da Moralidade: porque é que somos bons.

Capítulo 7 – O livro do ‘bem’ e a emergente moral Zeitgeist

Capítulo 8 – O que está mal com a religião? Porquê ser tão hostil?

Capítulo 9 – Infância, abuso e o escapar da religião.

Capítulo 10 – Uma lacuna muito necessária.

“Não é suficiente ver que um jardim é bonito sem ter de acreditar que existem fadas por de baixo dele?” – Douglas Adams (1952-2001)

Sexta-feira 13

Hoje é sexta-feira 13, supostamente diz de azar para muitos… ou de sorte para outros.

Ao medo deste dia, dá-se o nome de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia.

Esta ideia de que é dia de azar perde-se nos tempos, e como não podia deixar de ser neste tipo de coisas, existem varias versões este dia ser conotado de mau agoiro.

Na numeralogia o numero 12 é o numero da perfeição, 12 deuses do olimpo, 12 meses do ano, 12 horas no relógio, 12 apóstolos, 12 signos, 12 tribos de Israel, enfim um número infindável de exemplos. Sendo assim o numero 13 já desequilibra a coisa, tornando tudo muito mais imperfeito…

Outras das conotações deste dia tem tendencias religiosas, na ultima ceia, à mesa haviam 13 pessoas, e Jesus, supostamente foi crucificado numa sexta-feira, juntando as duas coisa, dá molho… Outra das ideias tem origens nas religiões nórdicas onde ouve uma ceia com 12 deuses, Loki, Deus do mal e da discórdia apareceu sem ter sido convidado, armou uma zaragata com todos os outros e terminou com a morte de Balder, o Deus favorito de todos. (Onde é que eu já ouvi falar disto???) Advem também daqui a ideia de que convidar 13 pessoas para um banquete é sinal de mau agoiro.

Outra das ídeias para o inicio desta superstição foi que no dia 13 de Outubro de 1307 o rei Filipe IV de França ordenou a prisão e tortura de todos os Cavaleiros Templários do reino, sendo posteriormente executados por heresia. Era uma sexta-feira.

Existe também a ideia de que a Deusa Nórdica do amor e da beleza, Friga, (dai, Friday ou sexta-feira) aquando da conversão dos nordicos e germanicos ao cristianismo, transformou-se em bruxa e como vingança reunia-se com mais 11 bruxas e o próprio diabo (13 no total) para lançarem maus agoiros e pragas aos humanos.

Seja como for é considerado por muitos um dia azarento, sendo até desculpas para não abrir um negócio ou fazer compras de bens maiores neste dia, chegando inclusive a ser uma desculpa para não sair de casa ou ir trabalhar. Existem estudos que comprovam que quem acredita neste tipo de superstição aumenta exponencialmente a hípotese de lhe acontecer algo mau.

Apenas como curiosidade, o dia sexta-feira 13 é o dia mais comum de todo o calendário gregoriano. Nos ciclos de 4800 meses existente neste, este dia aparece 688 vezes enquanto que os outros dias 13 aparecem menos vezes

Parabéns Charles Robert Darwin

Faz hoje (12 de Fevereiro de 1809) em Shrewsbury, Inglaterra que nascia o quinto filho de Robert Darwin e sua esposa Susannah Darwin.

Cedo se interessou pelo reino animal e míneral, aos 8 anos já coleccionava insectos, plantas e mínerais. Durante a sua juventude e após uma breve passagem como estudante de cirurgia na universidade, Darwin já detinha conhecimentos de taxidermia, geologia e classificação de plantas.

Devido aos atritos com o seu pai porque este queria que Darwin seguisse os seus passos como cirurgião, aos 19 anos a sua carreira mudou drasticamente para a de clérigo. Na época os clérigos recebiam uma pensão que lhes permitia viver abastadamente e lhes era permitido os estudos naturalistas, era uma das suas obrigações, “explorar as maravilhas da criação de Deus”.  Darwin viria a mudar o seu curso máis uma vez para História Natural, na universidade de Henslow. Após um brilhante ensino de estudos teológicos e geológicos onde foi um dos melhores alunos, a universidade o recomendou como sendo um dos acompanhante de expedição do barco HMS Beaggle, numa viagem de 2 anos com o objectivo de mapear a costa da América do Sul. Viagem essa que viria a durar 5 anos e que moldou para sempre muitas áreas da ciencia.

Nessa viagém pode constatar várias teorias da qual tinha lido ou ouvido durante o seu tempo de estudante irrequieto. Fósseis de conchas encontradas por Darwin na Patagónia do Chile e nos topos montanhosos dos Andes, vieram a corroborar com as idéias de  Charles Lyell de que a terra ao longo do tempo ia-se elevando e os sedimentos formavam pequenos degráus com o passar dos tempos.

Mas foi nas ilhas Galápagos que a famosa teoria da origem das espécies através da selecção natural ou a preservação de raças favorecidas na luta pela vida tomou forma, Darwin apercebeu-se que as cotovias, tentilhões e tartarugas variavam de ilha para ilha, de forma a adaptarem-se da melhor forma ao seu redor. Numa ilha, onde só havia vegetação rasteira, as tartarugas tinham uma carapaça baixa, enquanto que noutra ilha proxima onde a vegetação era mais alta as carapaças tinham a forma de um “V” invertido, para que o animal podesse esticar o pescoço e alimentar-se, o mesmo se passavam com os tentilhões onde as diferenças eram predominantes nos bicos.Já na Austrália ao vislumbrar o ornitorrinco afirmou que “Um incrédulo… poderia dizer que ‘seguramente dois criadores diferentes estiveram em acção'”

Nesta altura Darwin ainda tinha uma mentalidade criacionista, sendo seguidor das ideias de Paley, onde a perfeição da natureza era uma prova de que só podia ser germinada atravez de mão dívina. No entanto a sua descrença inicio-se a bordo do Beaggle, quando vislumbrou uma vespa paralizando uma larva e a introduzir os seus óvos para que esta servisse de repasto à prole quando eclodisse. Enquanto redigia “A Origem das Espécies” chegou mesmo a escrever a religião como uma estratégia tribal de sobrevivencia. Com o passar do tempo a linha ténua que o separava do dívino tornou-se mais curta e a morte de sua filha Annie em 1851 foi a machadada fínal na questão. Continuando no entanto a ajudar benéficamente a sua igreja local, nos domingos acompanhava a sua família à igreja mas nunca participava nas liturgias, ficando de fora nos jardins a disfrutar da natureza e a raciocinar acerca das suas teorias.

Darwin só viria a publicar o seu livro em 1859, 50 anos após o seu nascimento, e apenas sobre grande reflexão acerca do tema e discussão insessante com os maiores cientistas da época.Hoje em dia a sua teoria não só é aplicada na natureza como também na ecónomia e na sociedade com o chamado “Darwinismo Social”. No seu leito de morte em 1882 Darwin admitiu que nunca se teria tornado Ateu, mas sim um Agnóstico.

A teoria de Darwin de que evolução ocorreu por meio de selecção natural mudou a forma de pensar em inúmeros campos de estudo desde a Biologia à Antropologia. Seu trabalho estabeleceu que a evolução havia ocorrido não necessariamente por meios dívinos ma sim atravéz da seleção natural e sexual. Outros antes dele já haviam esboçado a idéia de selecção natural, ainda em  vida, Darwin reconheceu como tal os trabalhos de William Charles Wells e Patrick Matthew que ele e praticamente todos os outros naturalistas da época desconheciam quando ele publicou a sua teoria. Contudo, é claramente reconhecido que Darwin foi o primeiro a desenvolver e publicar uma teoria científica de Selecção Natural e que trabalhos anteriores ao seu não contribuíram para o desenvolvimento ou sucesso da Selecção Natural como uma teoria testável.

Apesar da grande controvérsia que marcou a publicação do trabalho de Darwin, a evolução por selecção natural provou ser um argumento poderoso contrário às noções de criação divina e projecto inteligente comuns na ciência do século XIX. A idéia de que não mais havia uma clara separação entre homens e animais faria com que Darwin fosse lembrado como aquele que removeu o homem da posição privilegiada que ocupava no universo. Para alguns de seus críticos, entretanto, ele continuou sendo visto como o “homem macaco”.

Apocalipse financeiro evitado no último minuto…

Não consegui resistir a postar esta noticia aqui apesar da fonte estar no nosso blogroll (http://www.lawrei.eu/MRA_Alliance/).

A noticia pode ser vista neste link http://www.lawrei.eu/MRA_Alliance/?p=3111

Mas fica aqui postada também:

Paul Kanjorski, presidente da Subcomissão do Mercado de Capitais do Congresso dos Estados Unidos, revelou que o mundo esteve à beira de um colapso financeiro global, no dia 15 de Setembro do ano passado, tendo o desastre sido evitado devido ao encerramento dos mercados decidido pelas autoridades monetárias norte-americanas que impediu uma “corrida electrónica aos bancos.” Naquele dia, cerca das 11 da manhã  (hora de Nova Iorque), a Reserva Federal (Fed) detectou uma retirada massiva de fundos dos mercados monetários, que atingiu cerca de USD 550 mil milhões/bilhões (mm/bi) no espaço de uma hora ou duas, através de resgates electrónicos”, explicou Kanjorski, durante uma entrevista à cadeia de televisão norte-americana C-Span.

“O Tesouro abriu as janelas do crédito para ajudar”, disse Kanjorski. “Eles injectaram 105 mm/bi no sistema mas concluíram rapidamente que não poderiam controlar a erosão. Estávamos a assistir a uma corrida electrónica aos bancos. Eles decidiram congelar todas as contas bancárias e anunciaram a extensão das garantias dos depósitos para USD 250 mil, por cada conta, para evitar o pânico. Isto foi o que realmente aconteceu.  Se eles não tivessem feito aquilo, os prognósticos apontavam para que, cerca das duas da tarde, USD 5,5 mil biliões/triliões (mibi/tri) teriam sido retirados do mercado monetário dos Estados Unidos. A economia norte-americana teria entrado em colapso e, 24 horas depois, a economia mundial teria igualmente entrado em colapso. (…) Teria sido o fim do nosso actual sistema político e económico, tal como o conhecemos.”

MRA Alliance/C-Span (extracto da entrevista)

Não sei fique triste por não ter mesmo acontecido ou se preocupado pelo facto de poder acontecer desta forma tão súbita.

Morte?

Hoje tive a minha primeira experiencia proxima com a morte…

Não, não estive à beira da morte nem sequer tive uma daquelas experiencias fora do comum onde vemos a luz ao fundo do túnel… Não se preocupem, a minha experiencia com a morte resumiu-se a uma pessoa próxima que faleceu.

Mas então… O que é a morte? Segundo os médicos e o meio cientifico, a morte é definida atravéz da morte cerebral ou morte biológica, trata-se da cessão de toda a actividade cerebral e não apenas no neo-cortex (onde crê-se que esteja a conciencia). A morte biológica é a falha de um ou mais sistemas necessários para a sobrevivencia, como é o caso da respiração ou da circulação sanguínea, após a morte biológica vêm sempre a cerebral, e é só ai que o ser é considerado falecido.

Então o que vêm depois da morte? Abordo das crenças religiosas, a nossa alma vai para o céu, ou para um sitio melhor e eterno onde não temos de nos preocupar com mais nada, é claro que há outras crenças que dizem que reencarnamos ou que nos tornamos almas ou espíritos e que vagueamos para sempre na Terra, há ainda a ideia de que o nosso corpo falece mas a nossa conciencia permanece e que de uma forma ou de outra irá juntar-se à alma de todos os restantes defuntos numa bola gigante.

No reino animal a coisa é muito mais simples, com exepção em alguns animais, a morte é encarada como um processo natural do ciclo da vída, se um individuo de uma espécie que vive em sociedade morre, o resto da sociedade prossegue naturalmente, mas nós como não somos uma espécie “normal”, velamos os defuntos, acreditamos em várias teorias sob o que acontece ou deixa de acontecer.

Eu  não sou apologista de nenhuma dessas teorias descritas em cima, não sei a resposta em concreto para o que se passa na realidade, provavelmente só a saberei no meu leito da morte… Mas a meu ver quando perecemos simplesmente a nossa alma/conciencia deixa de existir. Não, não é o escuro total uma vez que os nossos sentidos deixam de funcionar, simplesmente é o fim. O nosso corpo deixa de nos ser funcionais para exercermos o que quer que sejamos e num último esforço natural seremos pasto no processo de decomposição natural.

Espero aqui lêr as vossas opiniões acerca desta matéria.

Dinossauros e a biblia

Hoje deparei-me com este site, intitulando o conteúdo de: Os fósseis de dinossauros servem para provar que o Dilúvio existiu?

Como eu não podia deixar a coisa alheia, decidi ver o que lá dizia, e sendo que o site tem bases cristãs, os fósseis que hoje os paleontólogos descobrem são uma prova irrefutável de que houve o díluvio de Noé, com a chuva criaram-se as condições ideias para que os coitados dos dinossáuros podessem ser preservados e encontrados da forma como hoje os encontramos…

Eishhh então se houve o díluvio, Noé não pôs um casal de todos os seres vivos existentes dentro da sua famosa árca? A resposta, e segundo mesmo site é: Sim pôs….

Eishhh, então e como é que eles não sobreviveram até aos nosso dias? Segundo o site (Relembro aqui que o site é gerido por um grupo cristão), nós não sabemos, mas com o díluvio a terra foi de tal forma alterada que MUITO PROVAVELMENTE as condições necessárias para estes gigantes contínuarem entre nós já não eram possíveis.

EISHHH, então Deus é todo o poderoso para que é que se iria dar a Noé o trabalho de salvar os dinossauros do tal díluvio para depois estes se extinguirem? Numa hipotética situação em que a arca era suficientemente grande para poder levar um par de cada dinossáuro, para quê dar tanto trabalho ao coitado do Noé em a fazer a arca com o dobro do tamanho só para levar uns animais  que ao fim e ao cabo estavam pré-destinados a morrer? Ai o site já não tem resposta…

Alguns cristãos dizem então que o díluvio deve de ser encarado como uma alegoria… EISHHH então secalhar toda a bíblia poderá ser interpretada como uma alegoria e os factos nela relatados nunca existiram!!! EISHHHH

A Árvore da Vida – Charles Darwin and the Tree of Life

Publicada em 1859, A Origem das espécies, de Charles Darwin, foi uma pedrada no charco. Abalou consciências, modificou pensamentos, consagrou os princípios universais da competição entre as espécies e da selecção natural.

A ciência desferira um rude golpe na teoria criacionista, sendo por isso alvo de duras críticas que perduraram até à actualidade, se recordarmos que em alguns estados dos Estados Unidos a teoria evolucionista ainda é proibida.

3220503446_4daa67d2fc

Neste documentário com o nome em Português de Charles Darwin e a Árvore da Vida, viajamos na companhia de Sir David Attenborough na tentativa de seguir o pensamento de Charles Darwin aquando da criação da sua teoria da evolução.

Explorando de uma forma simples e concisa os pilares fundamentais que levaram Darwin a criar e a fundamentar as suas ideias, com base em tudo o que viu e descubriu a bordo do HMS Beaggle e posteriormente em sua casa enquanto formulava as suas ideias e remexia no pensamento humano.

Deste uma explicação simples em como foi possível atravez da evolução a criação do olho, passando por todos os estágios evolutivos, atravéz do olho mais simples que apenas distingue o dia da noite, ao olho mais evoluido com visão periscópica, e descernimento perfeito das cores, até à passagem dos repteis para avés através do famoso fóssil de archaeopteryx. Tudo com exemplificações de animais que existem actualmente e que provam que a evolução não se trata apenas de uma teoria mas um completo FACTO!

De seguida mostro-vos a exemplificação existente neste documentário da Árvore da Vida segundo a evolução:

Este documentário, apesar de ser um pouco dificil de encontrar está disponivel atravez de torrents como habitualmente. Na minha opinião este trata de um dos melhores documentários jamais criados com esta temática, um MUST SEE para todos os que se interpelam e questionam-se sob esta matéria.

Um mesito de vida!

Olá Pessoal,

Prometi-me a mim mesmo que ia ficar uns tempos sem vir aqui para concluir outras coisas noutros lados. Mas pronto..

Há dois dias fizemos um mês de existência. E não podia deixar de ser levantado uma ‘olé’ a tudo isto 🙂

Espero mais uma vez que este Blog tenha servido até agora para mexer com algumas pessoas, principalmente pessoal de fora, a casa já a conheço =P

Gostaria de sublinhar, uma vez mais, para aqueles que chegaram agora, links de documentários de interesse para que estes não se percam nas páginas obscuras que os blog vão deixando com o tempo.

Então aqui vão links dentro deste Blog a visitar:

Zeitgeist

Zeitgeist Addendum

Money as Debt

O Cristo Pagão

Religulous

A História das Coisas

Claro que todos os outros posts são também de grande interesse, contudo aqui, referia apenas os documentários que achei que já se estavam perdendo no esquecimento.

Com o tempo muitas outras fontes de interesse serão postadas. Eu pessoalmente tenho já visto um bom repositório, mas simplesmente ainda não tive tempo.Garanto que todas as que postar já certamente terei visto.

Confrontem-me com qualquer coisa mais que me faça repensar tudo de novo. Desafio-vos. Não se deixem ficar quietos.

Fiquem bem, deixem-se ver!

Abraços!

What makes us Human?

Durante séculos, filósofos e cientistas tentaram preencher a distancia que existe entre nós e os nossos parentes mais distances. Descubrirar qualidades humanas nos macacos, e qualidades de macaco nos humanos. Mas no entanto a questão continua, O que nos torna Humanos?

É assim que começa mais uma série que tenta unir as duas pontes que separam 2 espécies que se assemelham em todos os aspectos mas que em realidade estão bem distantes .

What makes us Humans? – O que nos torna Humanos? é uma série documental que acabou de passar na tv portuguesa (RTP2) dividida em dois episódios com a chancela do canal britânico Chanel 4 .

Na primeira parte entitulada de “Cabeças grandes” tenta-se mostrar com base em dados cientificos o porque do nosso cerebro se ter desenvolvido de tal forma a podermos alterar de forma tão promiscente o mundo que nos rodeia.

Na segunda com o nome de “Macaco de Imitação” releva-se o porque de nós humanos nos termos diferenciados tanto do nosso parente mais proximo, o macaco. O que é que nos levou a conseguirmos erguernos em pé de forma a podermos evoluir até aos nossos dias enquanto que o macaco resumui-se a continuar a pular de galho em galho no topo das arvorés e a comer frutos.

Infelizmente não consegui localizar esta série na loja de torrents adicionais, mas existe a série no video.google das duas partes sem estarem de forma alguma traduzidas. Mesmo com este pequeno contratempo vale a pena darem 2 horas do vosso tempo e descobrirem a resposta para esta grande pergunta. Entetanto vou continuar a procurar a forma de poder adicionar este belo documentário à minha colecção pessoal, assim que souber como informo-vos. Ficam aqui os links dos dois episódios:

Download Legendado em Português via Mega Upload, de Docspt.com

Parte 1. http://www.megaupload.com/?d=QTG3K3LR

Parte 2. http://www.megaupload.com/?d=C8RI2U0T

Video Google em Inglês

What Makes Us Human? (1. Big Heads)

What Makes Us Human? (2. Copycats)