‘Teoria da Mente’ pode explicar crença em Deus

Imagem Genérica (fMRI)

Imagem Genérica (fMRI)

Uma das áreas de científicas que me fascina mais pesquisar e saber é a investigação das zonas cerebrais responsáveis pelo nosso comportamento e actividade motora. Por outras palavras, o mapeamento do cérebro.

Uma técnica que tem revolucionado o mundo científico, especialmente nesta área, é a Imagem de Ressonância Magnética (MRI), em particular a sua vertente funcional (fMRI). Esta técnica permite-nos ver, em tempo real, as zonas do cérebro que estão activas quando se pede ao paciente para desempenhar uma determinada função. Posto isto, vamos ao que interessa.

Abaixo segue o minha versão resumida para uma noticia (link) que recebi via mail.

Resumo em Português;

“Uma vez que tenhamos desenvolvido a arquitectura cerebral necessária, poderemos ‘fazer’ religião, como indicam os estudos de mapeamento cerebral”

Este estudo mostra que para nós interpretarmos as intenções e os sentimentos de Deus, nós usamos maioritariamente as mesmas zonas cerebrais que usamos para prever as intenções e pensamentos das outras pessoas. Estas zonas são por sua vez as últimas regiões cerebrais que surgiram na cronologia evolutiva.

Descobriu-se que as crenças religiosas activam as zonas do cérebro que evoluíram mais recentemente tais como na imaginação, memoria e ‘teoria da mente’ e capacidade de nos ‘colocarmos na pele dos outros’.

“Eles não nos dizem acerca da existência duma entidade superior como Deus”, diz Jordan Grafman, “apenas nos mostram como a mente e o cérebro trabalham de modo a permitir-nos ter um sistema de crenças que nos guia no nosso dia a dia”.

Parte Experimental

O estudo incorporou 40 indivíduos crentes em religiões monoteístas – Cristãos, Judeus e Islamitas. Foram confrontados com diversas afirmações acerca de Deus, às quais tiveram de responder o quanto concordavam com elas.

No geral das perguntas as áreas cerebrais activadas foram:
lateral frontal lobe (onde ocorre a teoria da mente, permite-nos interpretar as intenções das outras pessoas)
medial temporal and frontal gyri(responsável pelo percepção das emoções dos outros)
– right inferior temporal gyrus (codifica o significado metafórico)

Recentemente desenvolvidos

Em suma, as partes do cérebro activadas pelas afirmações acerca das crenças foram aquelas usadas para fins mundanos e de interpretação diária do mundo e das outras pessoas. Interessante, contudo, estas zonas também corresponde às regiões do cérebro que se desenvolveram mais recentemente, e que parecem dar aos Humanos uma visão diferentes do mundo comparativamente aos outros animais.

“Os nossos resultados são únicos em demonstrar que os componentes específicos da crença religiosa são mediados por regiões bem conhecidas do cérebro, e apoiam as teorias psicológicas contemporâneas queassentam a crença religiosa em funções cognitivas evolucionarias adaptativas,” dizem os investigadores.

Comentário Pessoal

Vim há pouco tempo descobrir estas novas teorias psicológicas, de facto, este não é o primeiro estudo que me confronto nesta área.

Será mesmo que, tal como o nosso corpo foi seleccionado, modos de pensamento foram também eles alvo da pressão selectiva do meio à medida que iam surgindo devido ao constante aumento da complexidade do cérebro?

Para mim é bonito pensar que sim. Acho que este tipo de conhecimento não nos torna menos Humanos, mas sim põe-nos muito mais onde pertencemos, à Natureza.

O estudo do cérebro e do nosso psicológico é essencial para a compreensão de nós próprios e para procurarmos algo mais em nós.

Espero ter despertado o interesse mais alguém com esta notícia. Este é apenas um pequeno ramo na imensidão de ‘coisas’ que há para explorar.

Deixo-vos com as vossas conclusões sobre esta pesquisa.

5 Responses to ‘Teoria da Mente’ pode explicar crença em Deus

  1. Marco Roberto diz:

    “estas zonas também corresponde às regiões do cérebro que se desenvolveram mais recentemente”.
    Como disse o professor Richard Dawkins em o Relojoeiro Cego, “cerebros não deixam fosseis”, como é que sabemos que determinadas regiões do cerebro se desenvolveram recentemente ? Recentemente, estamos falando de quanto tempo na escala evolucionaria ?

  2. Joao Teixeira diz:

    Boas,

    Sinceramente, não te sei responder concretamente à tua pergunta porque nunca estudei isso. Mas vou arriscar a dizer: talvez comparando o nosso cérebro com os dos outros animais que tenham sistemas nervosos centrais menos desenvolvidos.

    “os cérebros não deixam fósseis”, talvez a ciência disponha agora de técnicas que no tempo do Relojoeiro Cego não dispunha e, por isso, essa afirmação do Dawkins esteja de certo modo desactualizada. Como te disse, não sei, estou apenas a espécular mas se eles dizem que são as regiões mais recentes do cérebro é porque já há estudos bem fundamentados que assim o comprovam, é questão de os procurarmos.

    Em relação há quanto tempo na escala evolucionária… talvez os arqueólogos e os antropólogos possam responder a essa pergunta através da análise do material que encontram das diferentes tripos passadas, tentando procurar quando começaram a ter uma maior imaginação, a venerar mortos ou a adorar deuses. Eu não te sei responder directamente, mas é uma pergunta bastante interessante.

    Abraços

  3. Kalenda diz:

    Como sei que gostam destas coisas fica aqui mais uma “acha para a fogueira” 🙂 :
    http://www.kk.org/thetechnium/archives/2008/10/evidence_of_a_g.php

    abraço,

    lfjar

  4. Joao Teixeira diz:

    Já li esse link todo. Epá, é um bocado ‘fora’. Bastante curioso até! Prometo postar sobre o assunto!

    Se formos ver bem… nada dentro de uma célula tem vida. Mas a célula em si é viva. A célula em si não pensa, mas muitas células a trabalhar em conjunto pensam ou desempenham uma função que lhes é externa à sua função própria. Não podemos dizer que as células dos olhos vêm.. Mas a combinação das células da retina com cérebro permite-nos formar imagens do mundo.

    Será que esta funcionamento em conjunto de tantos componentes eléctricos (hardware) trará à existência uma inteligência? Ou até mesmo uma consciência? Como é referido no link?

    É tão interessante que não consigo dizer que não acredito, nem que acho uma estupidez.

    Já agora Kalenda, o que achas?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: