À Procura de Darwin – episódio 1.

Boas,

Os nossos posts mais visto neste Blog são, de longe, os posts relacionados com a evolução das espécies e Darwin. Num comentário a ‘Parabéns Charles Robert Darwin‘, Luana disse que o que aqui publicamos não acrescenta nada de novo ao que já por ai se fala. Concordo, acho que os pontos mais pertinentes não são mesmo focados por norma.

Para tentar preencher esta falha decidi, a partir de hoje, levar a cabo uma série de posts onde tentarei deixar no ar questões pertinentes sobre, exactamente, o confronto Criacionismo e Evolução.

Espero acrescentar assim nova informação  ao que já é maioritariamente públicado e sabido, que, por vezes, é esquecida neste tipo de conversas.

Uma vez que a primeira coisa que observamos quando olhamos para algum animal ou pessoa ou objecto é o corpo do mesmo, irei começar exactamente pelas características físicas dos animais.

É defendido que Deus criou o Homem à sua imagem e semelhança e que o Homem é, de longe, superior aos restantes animais. Vejamos algumas caracteristicas entre alguns animais.

Começando pelos mamíferos podemos dizer que todos possuem um corpo estruturado do diferente modo. Cabeça, tronco, quatro membros (2 anteriores e 2 posteriores), e alguns possuem cauda visível. Será que disse alguma coisa que ninguém sabia?

É curioso, no mínimo, reparar como sendo nós seres tão superiores tenhamos uma estrutura corporal tão semelhante à de um urso ou um cão (ambos são mamíferos).

‘Cauda vísivel’ porquê? Nós os Humanos também temos cauda, contudo, é vestigial. Um órgão vestigial é um órgão que não se encontra desenvolvido no organismo, no entanto, restam vestigios da sua existência no passado. A evidência de órgãos vestigiais, a meu ver, é das provas mais sólidas para suportar a Evolução.

O cóccix (ver figuras) representa o que foi outrora uma cauda humana. Sem a necessidade de uma cauda, esta foi tornando-se vestigial. No entando, a necessidade de um cóccix manteve-se, pois serve como estrutura de supórte a vários músculos e a certas posições do corpo.

Visitaremos mais aprofundadamente os órgãos vestigiais num próximo post. Por agora, deixo-vos esta primeira abordagem.sacrum

Homem-Gorila-Chimpanzé-Orangotango-Gibbon

3 Responses to À Procura de Darwin – episódio 1.

  1. Joao Teixeira diz:

    Ao procurar na net pelo nome em Inglês “Look for Darwin” encontrei o seguinte link de outro autor: http://www.lookingfordarwin.com/Looking_for_Darwin/Home.html

    Fui coincidência o nome que dei a esta série com o nome deste outro blog. É provável que até haja algo mais em português com o mesmo nome. Caso haja, gostava desde já de garantir que foi apenas coincidência. Como não penso lucrar, nem estou a reclamar o meu trabalho como original, estou apenas a contar histórias já contadas, não vou alterar o nome e continuarei por isso a designar esta série de posts: “À procura de Darwin”.

    Abraços

  2. Kalenda diz:

    Caro João,

    É muito interessante essa coisa da “cauda” e restantes órgãos vestigiais, mas será que podias falar um bocadinho mais ao nivel da evolução centrando a coisa mas no que todos os mamiferos têm do pescoço para cima e esquecendo um pouco os apêndices.

    Isto não é critica mas sim sugestão, pois algures num post deste forum (que muito aprecio) lembro-me de se ter falado na evolução do cérebro, e tu próprio te teres interrogado sobre isso, uma vez que não existem muito fosseis do mesmo.

    Será que na realidade fomos os primeiros a atingir a “consciencia” e os outros mamiferos estão um pouco atrasados? Porquê? Será que lhes falta muito para o conseguirem também? O Golfinho será o que está mais avançado ou nem chegará lá pq o seu corpo apesar de mamifero é ligeiramente diferente do nosso, ou se tivesse ficado por terra seria agora o dominador?

    Desculpem estar aqui a interrogar e a divagar, mas os que me vão conhecendo já sabem que é um hábito.

    Como não podia deixar de ser vou deixar aqui alguma coisa:

    Tecido cerebral antigo: http://www.upi.com/Science_News/2008/12/12/Ancient_brain_tissue_found_in_Britain/UPI-70091229121849/

    O mais velho: http://www.sciencenews.org/view/generic/id/39826/title/Armenian_cave_yields_ancient_human_brain

    Este é só para meter um pouco de ruido no nosso sistema e abrir horizontes:http://www.eurekalert.org/pub_releases/2005-03/wuso-fl022805.php

    Afinal existem “reliquias” não é ?

    Abraço …

  3. Joao Teixeira diz:

    Boas Kalenda!

    Obrigado por relembrares essa necessidade!

    Eu comecei por escrever primeiro sobre estas características, mais porque fugiu-me o cérebro, e porque tou muito mais dentro desta parte. Consigo muito mais facilmente escrever sobre elas. No caso do cérebro vou ter de me dedicar mais um bocado à coisa.

    O mais provável é que por agora, já que o tempo anda curto, me dedique a esclarecer um pouco mais este tipo de caracteristicas, e então, com o tempo tentarei abordar o cérebro. Para a evolução do cérebro preciso mesmo de estudar.

    Mas é super interessante e prometo avançar com isso.

    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: