Aparição de Nossa Senhora em Sevilha

No passado mês de Janeiro, ao passar de carro ao largo de Sevilha (Espanha), olhei pela janela e vi uma luz grande e mística que se erguia no céu.

A Luz não era suportada por nenhuma estrutura, era forte e brilhante e esta apenas a pairar no ar. Era branca e tinha raiozinhos que saiam do centro mais brilhante.

Ler mais deste artigo

Anúncios

O Deus que não estava lá (The God Who Wasn’t There)

O Deus que não estava lá” (The God Who Wasn’t There) é um documentário criado por Brian Flemming. Brian qustiona a existência de Jesus Cristo como uma personagem real, expondo algumas evidências que apoiam o carácter mitológico de Jesus.

Brian foi em tempos Cristão e agora é autor deste documentário.

O filme é pequeno e bastante leve de se ver.
Este ano tem sido um ano de muita controvérsia ‘Darwin vs. Deus’, algo que nunca tinha visto. Juntamente com a polémica gerada com a primeira parte de Zeitgeist, O Filme, espero que este filme traga de novo à tona a necessidade de repensarmos o que já ‘sabemos’.

Download:
http://rapidshare.com/files/18955072/The_God_Who_Wasn_t_There.part1.rar
http://rapidshare.com/files/18963274/The_God_Who_Wasn_t_There.part2.rar
http://rapidshare.com/files/18968789/The_God_Who_Wasn_t_There.part3.rar
http://rapidshare.com/files/19021621/The_God_Who_Wasn_t_There.part4.rar
http://rapidshare.com/files/19038601/The_God_Who_Wasn_t_There.part5.rar
http://rapidshare.com/files/19051327/The_God_Who_Wasn_t_There.part6.rar
http://rapidshare.com/files/19082058/The_God_Who_Wasn_t_There.part7.rar

Legendas Português

Afinal, o que é que é mais importante para a nossa estabilidade mental? Aceitar como certo o que acreditamos ou procurar por uma certeza maior?

Zeitgeist Guia de Orientação Activista (Activist Orientation Guide)

Fevereiro de 2009 o Movimento Zeitgeist lançou, juntamente com o Projecto Vénus, um documento com o objectivo de melhor esclarecer e orientar o movimento activista ‘Zeitgeist’.

O documento esclarece melhor os pontos abordados no filme Addendum e adiciona muito mais informação à já divulgada. Juntamente com o documento em texto vem uma apresentação orientada à divulgação e conferências.

EDIT (14 Maio 2009):

The Zeitgeist Movement: Guida de Orientação

Filme com Legendas Online http://dotsub.com/view/a34fba0d-4016-4807-b255-021b58dbc9a4

Torrent .avi

Legendas para o .avi

Ler mais deste artigo

Os Humanos são intrinsecamente criacionistas

“A religião pode não ser a única razão pela qual as pessoas são levadas a ser criacionistas e a acreditar no design inteligente, estudos psicológicos sugerem.”

Chegou-me por mail, directamente da KurzweilAI (NewScientist), um estudo efectuado que tenta postular sobre a origem das “nossas crenças”. O estudo foi liderado por Deborah Kelemen. (link para a noticia)

Foi já documentado que as crianças têm por preferência um pensamento teleológico como explicação para as eventos de causas Naturais. «As borboletas têm asas para voar» ou «as pedras são ásperas para os animais se coçarem».

É também sabido que em adultos com escolaridade, independentemente das suas crenças, este tipo de pensamento teleológico é abandonado como explicação para ditas causas Naturais.

Partindo deste conhecimento, o estudo quis averiguar até que ponto a educação apaga as tendências teleológicas ou se, ao invés disso, o nosso cérebro é por omissão teleológico.

Ler mais deste artigo

A Desilusão de Deus (The God Delusion)

The God Delusion, de Richard Dawkins, ou em português A Desilusão de Deus publicado na editora Casa das Letras.

Um livro que me mostrou que é possivel argumentar racionalmente contra a crença religiosa e supersticiosa. Um livro que não deixa lugar para palavras ou argumentos baseados em trocadilhos ou interpretações incorrectas de teorias muito válidas. Como por exemplo, o FACTO da evolução.

De forma magistralmente bem argumentada, Dawkins mostra-nos como a mente religiosa perturba a sociedade actual e como nos impede de ser unos uns com os outros. A cima de tudo, o autor apela a um elevar da nossa consciência e mostra-nos através de exemplos como a nossa consciência é muito limitada inclusivé para questões práticas banais.

Não seria importante imprimir de vez em quando mapas do mundo com o polo Sul na parte de cima para nos relembrarmos que o hemisfério Norte não é o centro do mundo e que de modo algum fica para cima? Foi só um exemplo.

Dawkins batalha incesantemente na atrocidade que é a doutrinação de uma criança desde a sua nascença. Entupimos as nossos pequenos com crenças e mais superstições, ensinando-lhes o que pensar e não como pensar. Isto certamente deve ser combatido! Inclusivé, é apresentado um caso de uma rapariga que após ser molestada aos 7 anos de idade continuava a ter mais pesadelos com o Inferno a que pudesse ir parar após a sua morte do que por ter sido molestada. Felizmente, essa outrora criança é agora uma mulher sensata que conseguiu sair literalmente dessa prisão Infernal e ajuda outras pessoas a fazer o mesmo!

O que escrevi a cima nem sequer chega a um mini-resumo muitíssimo pobre do que é o livro. É seguramente um livro para todos os públicos, desde ateus a religiosos. Onde a posição do autor é, sem margem para dúvidas, uma posição de combate ao pensamento religioso.

A baixo ficam os títulos principais dos capitulos, traduzi-os diractamente do meu indice em inglês. Possivelmente a versão em português poderá ter uma tradução ligeiramente diferente. Os capitulos subdividem-se em subcapitulos com titulos mais especificos dentro do tema.

Capítulo 1 – Um profundo religioso não-crente

Capítulo 2 – A Hipotese de Deus

Capítulo 3 – Os Argumentos para a Existência de Deus

Capítulo 4 – O porquê de quase certamente não existir Deus

Capítulo 5 – As Raízes da Religião

Capítulo 6 – As Raízes da Moralidade: porque é que somos bons.

Capítulo 7 – O livro do ‘bem’ e a emergente moral Zeitgeist

Capítulo 8 – O que está mal com a religião? Porquê ser tão hostil?

Capítulo 9 – Infância, abuso e o escapar da religião.

Capítulo 10 – Uma lacuna muito necessária.

“Não é suficiente ver que um jardim é bonito sem ter de acreditar que existem fadas por de baixo dele?” – Douglas Adams (1952-2001)

Sexta-feira 13

Hoje é sexta-feira 13, supostamente diz de azar para muitos… ou de sorte para outros.

Ao medo deste dia, dá-se o nome de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia.

Esta ideia de que é dia de azar perde-se nos tempos, e como não podia deixar de ser neste tipo de coisas, existem varias versões este dia ser conotado de mau agoiro.

Na numeralogia o numero 12 é o numero da perfeição, 12 deuses do olimpo, 12 meses do ano, 12 horas no relógio, 12 apóstolos, 12 signos, 12 tribos de Israel, enfim um número infindável de exemplos. Sendo assim o numero 13 já desequilibra a coisa, tornando tudo muito mais imperfeito…

Outras das conotações deste dia tem tendencias religiosas, na ultima ceia, à mesa haviam 13 pessoas, e Jesus, supostamente foi crucificado numa sexta-feira, juntando as duas coisa, dá molho… Outra das ideias tem origens nas religiões nórdicas onde ouve uma ceia com 12 deuses, Loki, Deus do mal e da discórdia apareceu sem ter sido convidado, armou uma zaragata com todos os outros e terminou com a morte de Balder, o Deus favorito de todos. (Onde é que eu já ouvi falar disto???) Advem também daqui a ideia de que convidar 13 pessoas para um banquete é sinal de mau agoiro.

Outra das ídeias para o inicio desta superstição foi que no dia 13 de Outubro de 1307 o rei Filipe IV de França ordenou a prisão e tortura de todos os Cavaleiros Templários do reino, sendo posteriormente executados por heresia. Era uma sexta-feira.

Existe também a ideia de que a Deusa Nórdica do amor e da beleza, Friga, (dai, Friday ou sexta-feira) aquando da conversão dos nordicos e germanicos ao cristianismo, transformou-se em bruxa e como vingança reunia-se com mais 11 bruxas e o próprio diabo (13 no total) para lançarem maus agoiros e pragas aos humanos.

Seja como for é considerado por muitos um dia azarento, sendo até desculpas para não abrir um negócio ou fazer compras de bens maiores neste dia, chegando inclusive a ser uma desculpa para não sair de casa ou ir trabalhar. Existem estudos que comprovam que quem acredita neste tipo de superstição aumenta exponencialmente a hípotese de lhe acontecer algo mau.

Apenas como curiosidade, o dia sexta-feira 13 é o dia mais comum de todo o calendário gregoriano. Nos ciclos de 4800 meses existente neste, este dia aparece 688 vezes enquanto que os outros dias 13 aparecem menos vezes