EUA: 40 milhões de doses de vacinas foram para o lixo

Cerca de 40 milhões de doses da vacina contra a gripe suína, produzidas pelos Estados Unidos, expiraram e foram para o lixo, com um prejuízo de cerca de 200 milhões de euros, avança a agência AP.

As vacinas, que expiraram na quarta-feira, vão ser incineradas, uma quantidade quatro vezes superior àquela que costuma sobrar da gripe sazonal.

Uma estimativa do governo apontam que mais 30 milhões de doses vão expirar e, caso isso se verifique, mais de 43 por cento das doses terão sido desperdiçadas.

«Apesar das muitas doses de vacinas que não foram usadas, foi mais apropriado termo-nos preparado para o pior cenário do que ter falta de vacinas», declarou o porta-voz do departamento de Saúde e Serviços Humanos, Bill Hall.

Este ano, o governo recomendou que todos os americanos se vacinassem contra a gripe, no entanto, não quer dizer que sejam utilizadas todas as doses.

«Sem dúvida que vão sobrar doses. Isso acontece sempre», referiu um especialista em imunologia.

in IOL DIÁRIO

Esta notícia saiu no dia 1 do presente mês, mas como todas aquelas que realmente interessam foi abafada na comunicação social. Alguém ouviu ou leu-a nos principais media do pais? Ah pois é…

“Por detrás da gripe A” por António Bagão Félix

Agora que os noticiários já quase não falam da gripe A, surgiu a informação de que os ganhos da indústria farmacêutica por causa e em função desta estirpe (cinco mil milhões de euros, fora a valorização das acções, o que corresponde a cerca de 1,5 vezes o PIB do desgraçado Haiti!) estão sob suspeita do Conselho da Europa que, aliás, vai debater e criar uma comissão para avaliar a pressão que, alegadamente, poderá ter sido exercida sobre a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Compreendo todas as cautelas e prevenções sobre o que se anunciava como uma grave pandemia mundial. É daquelas situações em que mais vale errar por excesso do que por defeito. Mas hoje, face à avaliação parcial que já se pode fazer, estaremos provavelmente perante um claro exagero de previsão. Basta recordar que a OMS chegou a aventar a hipótese de poder haver mais de 70 milhões de mortes e até agora terem-se verificado menos de 13000!

Em Portugal, onde nos foi permanentemente incutido um cenário alarmista e negro, com conferências de imprensa em catadupa “por dá cá aquela palha” e com a previsão de encerramentos temporários desde escolas a fábricas até igrejas e práticas desportivas, houve até agora 83 mortes, valor muito aquém da gripe sazonal (2000 óbitos por ano). Ao menos que esse exagero tenha trazido uma vantagem adicional: a de incitar e habituar as pessoas a uma maior cultura de higiene e profilaxia.

As vacinas e antivirais adquiridos pelos países mais desenvolvidos sobejam por todo o lado. Primeiro por pouca certeza da OMS (duas doses da vacina primeiro e logo a seguir apenas uma), depois porque as pessoas se aperceberam de que a situação não seria tão trágica quanto se previra. Em França, por exemplo, compraram-se 94 milhões de doses e só se usaram 5%! Os grandes beneficiários desta gestão desastrosa foram, de facto, os laboratórios!

Em escala logarítmica, repetiu-se a histeria sanitarista que, nos últimos anos, já se viu com a gripe das aves, a doença das vacas loucas e outros vírus. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Nesta voragem de psicose colectiva, a técnica do pavor não é necessariamente boa conselheira…

Sou dos que pensam que a relação entre a OMS e a indústria da saúde deveria ser mais cristalina e escrutinável. Só por ingenuidade é que se pode achar que não há pressões num sector que move rios de dinheiro e de interesses.

Assim, o que se constata é a uma verdadeira “pandemia de lucro” embora paradoxalmente concentrada, que evidencia como poderosos interesses industriais e económicos são capazes de influenciar os decisores institucionais, os media e, por fim, os políticos.

A gripe A foi, aliás, sempre abordada como um problema de saúde focado nos países do 1º mundo, enquanto continuam a morrer diariamente milhares de pessoas nos países pobres com malária que se pode facilmente prevenir, com cólera e outras afecções evitáveis com um simples soro. Estes problemas, porém, nunca são notícia nem movem a comunidade internacional porque não são economicamente atractivos e lucrativos.

in Económico

É assim que se combate a Gripe A…

... ou pelo menos devia de ser assim.

Vacina H1N1 – A maior peta de sempre! Parte 2

title_influenza_2ALEMANHA: A população receberá uma vacina diferente da prevista para os dirigentes, os funcionários do Estado e o Exército.

Uma questão de adjuvantes, os já falados aqui escaleno e triomersal. A polémica abalou o país.

Para combater o vírus da Gripe A, existe uma vacina para o povo e outra para quem o governa.
A informação espalhou-se como o um rastilho de pólvora desde domingo, na Alemanha. O Pandemrix, a vacina fabricada em Dresden pela empresa GlaxosSmithKline (GSK), é para o cidadão comum. Foram encomendadas 50 milhões de doses.

Mas para os políticos, funcionários públicos e soldados, o Ministério do Interior encomendou 200.000 doses de Celvapan fabricadas pelo Grupo Baxter.

A diferença? A presença de adjuvantes: o Pandemrix contém, ao contrário do CELVAPAN. Agora questionem-se? Porque é que o plebeu toma a dose com adjuvante, e a elite nacional não? Não é motivo para desconfiar?

FONTE: 24 heurs

Vacina H1N1 – A maior peta de sempre! Parte 1

Todos nós já vimos como a vacina para o H1N1 pode ser fatal para quem a tome.

Mas ultimamente estava tudo em alarido porque não havia a suposta “vacina” depois desta criada, não havia forma de a fabricar em larga escala para preencher a grande demanda de doses que necessitavam de ser fabricadas…

Mas eis que a verdade é como o azeite, chega sempre ao de cima:

2008

Cópia do folheto informativo da vacina dos laboratórios Sanofi Pasteur SA em 2008

Estão a ler bem meus amigos, a vacina contra a Gripe sazonal dos laboratórios Sanofi Pasteur SA em 2008 já continha o vírus H1N1 inóculado e quem tomou essa vacina ficou ímune ao dito cujo.

Dra Rauni Kilde fala sobre conspiração e gripe suína

tendo em conta a quantidade de visitas que este post tem sido alvo nos últimos tempos quero convidar os leitures a visitarem também os nossos outros posts sobre a Gripe A.

Mais pesquisas sobre o vírus AH1N1

Muita controvérsia continua ainda no ar sobre a origem do vírus da gripe AH1N1 e a segurança da vacina que virá a ele ser associada. A baixo exponho os resultados da minha ultima pesquisa sobre este tema.

[Antes de continuarem a ler esta entrada por favor relembrem-se que não é minha intensão afirmar como certeza absoluta a informação aqui postada. O meu objectivo é mostrar-vos que a informação está disponível para vocês tirarem as vossas concluções e ajudarem-me a chegar a conclusões melhores.]

Há que realçar desde já o excelente trabalho realizado pelo blog, Pandemia-H1N1. O site retem um repositório bem completo sobre notícias sobre o vírus. Seguem a baixo alguns realços que quero deixar aqui. Sugiro desde já a todos que visitem o site para mais informações.

Ler mais deste artigo

Operación Pandemia

Para beneficio de quienes les gusta tener sus propias convicciones, sin interferencia de propaganda o publicidad, les reenvío este link que es información sobre todo este alboroto de la Gripe. Cada cual lo toma como quiere. A mí me pareció importante verlo, pero no es obligación. Hasta luego.

Vacinação em massa na Europa… em Portugal (H1N1)

Está para breve a vacinação em massa na Europa e, claro, em Portugal.

Nos Jornais Italianos saiu hoje a notícia que a ‘autoridade sanitária Italiana’ está a considerar vacinar contra o H1N1 15.4 Milhões de jovens Italianos, entre os 2 e os 27 anos, até Janeiro de 2010.

Em Portugal a ministra da saúde anunciou que já foi efectuada uma reserva de vacinas para 30% da população portuguesa.. a estar disponível até Dezembro.

Ler mais deste artigo

Gripe A e vacinas em Massa!!

Já faz algum tempo que não posto um texto pessoal. O tempo agora anda escasso e venho de passagem apenas para dar inicio a uma discussão emergente que ainda não houve oportunidade de estudar correctamente. No entanto, quero deixar já aqui a dica para quem estiver atento poder tomar a iniciativa.

A Gripe A contínua a espalhar-se e cada dia ouvem-se novos casos. Face a isto ouvem-se cada vez mais notícias e frases alarmantes que anunciam algo semelhante: “É necessário que todos sejam vacinados contra o vírus”.

Os EUA estão a avançar já com um plano de vacinação massa e obrigatória para Outubro. O plano de vacinação terá como alvo idosos, mulheres grávidas e crianças. Ora, isto é exactamente o contrário do que seria de esperar dum plano de vacinas contra um vírus que afecta essencialmente jovens robustos com o sistema imunitário desenvolvido.

Ler mais deste artigo

O que nós não sabemos sobre a Gripe A pode matar-nos?