Fierce Light: Quando o Espírito Encontra Acção

Vejo grande potencial neste filme. Parece transmitir uma mensagem poderosa.

“RIPPER IS THE JOHN LENNON OF DOCUMENTARY FILMMAKERS. FIERCE LIGHT IS ‘IMAGINE’ IN TECHNICOLOR” ~ Michael Markwick, SFU Communications

Site oficial

Torrent

Vou ver e já comento mais sobre ele…

Sobre Roger Marques
Passionate gamer, curious scientist, novice surfer, lvl 3 martial artist, also a budding game designer.

One Response to Fierce Light: Quando o Espírito Encontra Acção

  1. jmct diz:

    Nunca chegaste a comentar😛 já agora gostava de saber a tua opinião.

    Vi ontem o Fierce Light. Antes de começar tive de ir à procura do que Fierce Light queria dizer: “luz intensa”.

    Achei o filme bastante bom para não dizer excelente. Não pensem que digo isto por ter concordado com tudo o que o filme transmite ou diz, ou as opiniões nele expressas. Mas achei-o muito bom porque me fez pensar bastante sobre a questão do “activismo”. Principalmente a parte dos monges deixou-me bastante pensativo.

    Hoje em dia sinto tremenda dificuldade em definir a melhor forma de activismo. Talvez a melhor seja mesmo a aquela famosa frase: “se queres deitar a baixo um modelo, crias um melhor e tornas o antigo obsoleto”. Mas “num comboio em movimento não [sei se] nos podemos dar ao luxo de sermos neutros”.

    Vivemos num mundo em que nos acusam de gastar montanhas de plástico que polui o ambiente. Mas quando vamos ao supermercado não temos outra alternativa se não a de comprar embalagens de plástico. Não é preciso ser-se grande génio para pensar em soluções que reduzam drasticamente o consumo de plástico. E não estou a falar do saquinho fixo que se leva ao supermercado, esse já é usado. Estou a falar em termos depósitos de arroz e detergentes por exemplo. Onde as pessoas retiravam a quantidade que queria e pagavam ao peso, assim usava-se sempre o mesmo recipiente.

    A minha mãe no outro dia mostrou-me uma embalagem do SUN para a máquina de levar loiça… vinha “cheia” apenas à metade. Metade!! E isto não é plástico a mais? E a culpa é nossa?

    Desculpem este desabafo do plástico mas é necessário mandar os pensamentos para o blog🙂

    Mas a questão é mesmo essa, num mundo onde nos temos esquecido da “revolução interior”, será que apenas essa é suficiente? Mas, certamente, sem ela não vamos a lado nenhum. Ou será que uma revolução interior levará a uma revolução exterior mais sólida e nos fará mudar?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: