Houve um blogue que previu a crise da zona euro. Ninguém ligou

Deixo-vos aqui com uma notícia que gostei de ler agora de manhã. A minha atenção destacou-se mais para a parte da demografia. Vou achando cada vez mais que a demografia joga mesmo o papel mais importante nos movimentos da nossa sociedade – e faz todo o sentido já que a sociedade são os seres humanos. Volto a referir aqui um livro que o Kalenda referiu já há uns tempos, para quem tiver interesse, vale mesmo a pena ler – “Os Próximos 100 Anos“.

Durante anos ninguém ligou aos avisos do tipo “o céu está prestes a cair-nos em cima” feitos por Edward Hugh, um bloguista britânico sociável e dedicado, economista autodidacta, que previu repetidamente que a zona euro não poderia sobreviver.

Vivendo uma existência bastante espartana com o seu salário de professor a tempo parcial, enviou posts sucessivos para a ciberselva. Era o cúmulo da cegueira política, alertava ele, pensar que uma sociedade envelhecida poupada como a alemã poderia coexistir com outras mais jovens e dependentes do crédito como a irlandesa, a grega e a espanhola, que com ela partilham o euro.

ler o resto…

No futuro virão as notícias a dizer, “Bloguistas falavam dos Maçons, da Nova Ordem Mundial, Chemtrails e HAARP e ninguém ligou”. Eheheheh, não resisti à piada 😀

Anúncios

End of Nations – EU Takeover & the Lisbon Treaty

Como é que a Europa é gerida???

Os irlandeses deram um belo contributo com este documentário:

We set out to make a video about the pros and cons of the Lisbon Treaty and found out to our horror the lies, manipulations and deceit behind the EU. From MEPs, legal experts and EU researches the true nature of the EU unfolded, how it really operates from behind closed doors and away from prying eyes. We discovered the massive power grab away from citizens and nations to the elites that is being proposed in this treaty.

Most shocking of all was how our elected representatives are willingly handing us over to this emerging Totalitarian Superstate by deception , propaganda and outright lies.This video details how the structures of the EU really operate, what the full significance of the Lisbon Treaty is and how it is the end of Nations within in the EU. MEPs describe their experience in Brussels and how they are undermined by the real power of the unelected and unaccountable Eurocrats who run the organization. How the politicians are working together for their own selfish needs while being used for a bigger agenda.

The Youtube trailer for this documentary can be found here: http://www.youtube.com/watch?v=J4kA0mSi2Xs

Youtube Lisbon Treaty Song: http://www.youtube.com/watch?v=JPrJ4SXQA7w

Feel free to download and share this documentary
There is a very easy solution for downloading the video. Download the latest Real Player (click here) and then view the movie, hover your mouse over it and on the top right you’ll see a new download button popup. Real Player will download this to your PC as a flash video (flv) which can now play in Real Player.

Translate End of Nations
If you would like to translate this documentary in to another language please contact us.

Porque é que nenhum membro eleito pode efectuar decisões acerca da legislação?

Porque será que os governantes portugueses parecem tão grandes apoiantes da conspiração?

Porquê? Porquê? Porquê?

Há muitas perguntas sem resposta. Ainda mais do que em relação aos EUA. A Europa está sinistramente a ser governada por detrás das sombras. A ausência de transparência é tão gritante que quase ninguém se apercebeu.

Quem produz o Dinheiro Português?

Directamente do blog Mão Fina fica este post bastante interessante.

———————————————————- Inicio da cópia ———————————————————-

Um peido existe num sistema monetário, pelo que não é de estranhar que no processo de ser peidado, eu peido tenha roçado numa hemorróida: onde é produzido o dinheiro português?

Durante horas investiguei entre merda e mais merda sem consistência, até à fase em que compreendi: não estava a construir a pergunta correcta. Portugal pertence à União Europeia, não existe dinheiro português, existe o Euro.

Mesmo assim, este produto continuava sem berço… EUREKA! Produto, dinheiro, sistema monetário, lucro! Seria o dinheiro europeu produzido por empresas privadas? Dois nomes surgiram:

“Desde 1852, a empresa alemã Giesecke & Devrient é especializada na fabricação da mais cobiçada das mercadorias: o dinheiro. Atualmente, a G&D imprime cédulas e papel-moeda para mais de 80 países (…).”

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,1367331,00.html

“A BRITISH company has won a lucrative German contract to manufacture euro coins after successfully suing Germany’s finance ministry over the placing of the order.

Birmingham Mint, a private firm, complained that the Germans had awarded contracts to three subsidiaries of the same company, thereby breaking competition rules. The use of more than one firm is designed to spread the risk of one failing to deliver (…).”

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/germany/1349546/British-firm-wins-fight-to-produce-euro-coins.html

Fantástico! Sentia a ansiedade a transformar-se numa bufa peidada num local longínquo ao que me encontrava. Fiquei extremamente feliz ao saber que o dinheiro, mais conhecido por “dinheirinho”, ente querido e estimado, era parido por empresas privadas que certamente o faziam como gesto altruísta, desinteressadamente por amor às nações, sem que os estados tivessem de gastar uns milhões a pagar um produto que eles próprios poderiam produzir. Contudo, fazia-me um pouco de comichãozita, como quem coça o cu ao cu, era tal facto não ter sido partilhado com a comunidade peidal. Porém, eu estava errado.

Ler mais deste artigo

Mário Soares, Van Rompuy e Bilderberg Group

Aqui deixo mais uma notícia da MRA Alliance. Com comentários do Mário Soares.

O antigo presidente da República Mário Soares fez uma expressiva crítica, esta terça-feira, à escolha do até aqui primeiro-ministro belga para a presidência do Conselho Europeu (CE). Para Soares, Van Rompuy «é um presidente que vai ser um burocrata».

Confessando-se «espantado» com a escolha do belga para a liderança do CE, Mário Soares sublinhou que «os europeus em geral não sabem quem é, e isso é mau».

«O directório que hoje governa a Europa não quer que lhe façam sombra», afirmou, citado pelo ‘Expresso’ online.

«É um presidente que vai ser um burocrata, se calhar, vamos ver. Espero que não», perspectivou, à margem do seminário “Portugal e Espanha: O que fazer em conjunto na Europa?”, que decorre em Lisboa.

Para Soares, a escolha de Van Rompuy, prova que todo o processo de nomeação do presidente do CE não passou de «um cozinhado feito sem o conhecimento de ninguém».

Ainda assim, o antigo chefe de Estado não deixou de desejar que Van Rompuy «tenha êxito, o que é importante para todos nós».

Rompuy e o Grupo Bilderberg

Escassos dias antes da sua escolha, Van Rompuy participou e discursou durante um jantar organizado pelo secretivo lóbi globalista “Bilderberg Group”, em Bruxelas, onde manteve contactos com influentes membros da comissão de selecção e recrutamento de associados e colaboradores.

Durante o discurso, o então primeiro-ministro belga defendeu a revisão de um conjunto de impostos relacionados com transportes aéreos, combustíveis e IVA para reforçar os cofres da União Europeia.

“As possibilidades de arrecadação fiscal a nível europeu deverá ser seriamente escritunada e, pela primeira vez, a maior parte dos países da UE está aberta a isso. (…) Por si só, não basta a recuperação da economia para eliminar os enormes défices orçamentais de muitas economias europeias”, disse Van Rompuy, citado pelo jornal flamengo De Tijd.

A notícia indica que, na ocasião, para além de um breve encontro com Henry Kissinger, um velho membro do Grupo Bilderberg, Van Rompuy manteve conversações com o actual presidente da opaca organização, Étienne Davignon, vice-presidente da União Europeia entre 1981 e 1985.

Em Março passado, em entrevista ao jornal EU Obvserver, o visconde Davignon lembrou que o Grupo Bilderberg desempenhou um papel crucial nas movimentações políticas e financeiras que levaram à criação da moeda única europeia, nos anos 90.

Pouco antes de serem primeiros-ministros de Portugal, Durão Barroso e Santana Lopes participaram em reuniões anuais da agremiação globalista.

MRA Alliance

Pedro Varanda de Castro, Consultor

Já aqui antes tinhamos falado do Grupo Bilderberg.