Vaticano considera não haver contraposição entre fé e evolução.

Fé e ciência travam hoje um debate antigo. Como preservar a palavra de deus diante dos avanços tecnológicos? No Vaticano, religiosos católicos estão discutindo a versão bíblica sobre a criação da vida na Terra e as teorias evolucionistas do cientista inglês Charles Darwin.

Durante décadas, a teoria da evolução de Charles Darwin correu o risco de se transformar, para a Igreja, no novo caso Galileu-Galilei. O risco foi superado, afirmaram os responsáveis por um seminário internacional que aconteceu no território eclesiástico.

A Universidade Gregoriana, em Roma, onde estudaram grandes teólogos do Vaticano, está discutindo o pensamento do cientista inglês, no qual cada espécie descende de uma seleção natural, genética ou casual, influenciada por factores ambientais.

Quando Darwin publicou a sua maior obra, “A origem das espécies”, o cientista foi considerado herético. Hoje, 150 anos depois, o Vaticano admite que não se quer colocar contra a realidade cientifica. Foram palavras usadas pelo cardeal William Levada, presidente da Congregação para a Doutrina da Fé.

“Deus acima de tudo como criador absoluto, e assim for, não há incompatibilidade entre a Bíblia e a doutrina evolucionista”, garantiu.

7 Responses to Vaticano considera não haver contraposição entre fé e evolução.

  1. Joao Teixeira diz:

    {a imagem está mesmo muito louca}

    Aos poucos a igreja vai-se moldando, adaptando ao conhecimento científico. Abdicando os seus ensinamentos mais antigos à medida que a razão inevitavelmente os ridiculariza e nem eles próprio já os podem aceitar. Nunca nada do que a ciência descubrir irá contra o que diz a Bíblia… as alterações continuarão até não haver mais Cristianismo. Pode ser que as pessoas dêm o saltinho, da sua fé à sua compreensão.

    Fará sentido um Cristianismo (ou qualquer outra religião) em constante mudança?

    Será que a ciência provará que o Deus não existe? Será que teriamos de reformular o conceito de Deus?

    Este é um bom post para pegar uma boa discussão. Onde está a barreira entre o Cristianismo e o ‘JáNãoFazSentidismo’ ?

  2. 4zbruno diz:

    Estarei certo ao pensar que a religião tem como primeira premissa um ser Humano excepcionalmente evoluído em moralidade e conhecimento, e como segunda premissa a interpretação ignorante (em relação ao ser excepcional) de outro ser Humano, deixo no ar a resposta à conclusão.

    Há muitas razões para que não se tome algo com definitivo ou absoluto mas as pessoas fazem-no, porquê? Algumas por sua falta de conhecimento, outras mesmo com conhecimento deixam se levar pela dissonância cognitiva, isto é, o comportamento Humano não é a expressão inequívoca e directa do modo de pensar do ser Humano, porque existe necessariamente uma relação entre as componentes afectiva/emocional e cognitiva. Se o ser Humano dispusesse apenas de estruturas racionais, este elemento bastaria para determinar as suas atitudes, mas como sabemos o homem é sobretudo dominado pelas emoções e pelos sentimentos a ela associados. Logo se uma forte componente cognitiva estiver associada a uma forte componente emocional a atitude encontra-se reforçada e é mais difícil alterá-la do que quando há apenas algumas ideias vagas. Isto explica algumas expressões como “sei que fumar faz mal, mas eu fumo á mesma”. Na minha opinião o tomar algo como definitivo ou absoluto, neste caso, criacionismo ou evolucionismo é apenas uma forma de materialismo intelectual, necessidade de possuir ou ser detentor.

    Irá sempre haver criacionismo mental, ainda há muito para conhecer, há muito por descobrir, há muito que não se conhece, já Sócrates dizia “Só sei que nada sei”, e quantos estudos enraizados não se vieram a descobrir passados uns bons anos que num momento critico desse estudo, interpretou-se ou estudou-se de uma forma menos correcta e que isso alterará toda a estrutura desse conhecimento obtido? Aplica-se criacionismo aquilo que se conhece mas não se tem uma explicação, mas ainda há aquilo que não se conhece. Talvez, como diz o zeitgueist a religião evolua para a sua área de utilidade; a Filosofia, mas isso leva tempo!

    Boas questões João, mas eu gostava de completa-las!

    E se a ciência prova-se a existência de Deus? E se o seu conceito nos fosse revelado?

    A ciência também evolui, os seus métodos as suas ferramentas estão em constante mudança e tu sabes isso melhor que eu. Quando atravessas uma estrada mesmo sabendo que é de sentido único, porque é que quase sempre olhas para os dois lados para atravessa-la? Lol Aqui também deves olhar para os dois lados se não corres o risco de ser atropelado! =)

    Lembras-te de dizer que era difícil ser Proteu? De facto cada um defende o seu pequeno sistema na intenção de fazê-lo prevalecer e o sustenta com firmeza, porque cada um procura naturalmente a estabilidade e harmonia, conheces alguém que todos os dias tenha as opiniões mais divergentes alternativamente acatadas e rejeitadas como erros absurdos, ou proclamadas como verdades incontestáveis? Apenas os factos são o verdadeiro critério dos nossos julgamentos (não esquecendo a relatividade e subjectividade do sujeito).

  3. Joao Teixeira diz:

    Tens feito uns bons pontos de moderação Bruno. É bom estarmos sempre atentos ao facto de não nos podermos ‘atirar de cabeça’ para a primeira coisa que nos chama a atenção. Eu tenho tido isso muito em conta. Essa foi até uma das razões que me levou a criar, junto com vocês, o Blog; para ter a certeza que não substituía a religião pelo Zeitgeist.

    Na primeira frase referes-te ao Messias? No caso do Cristianismo a Jesus? Fiquei sem perceber muito bem o que querias dizer.

    Discordo contigo em relação ao evolucionismo como uma forma de ‘materialismo intelectual’. Seguramente deve haver pessoas que são ‘buéda malukas yoo até acreditam no Darwin’, mas não é disso que estamos aqui a falar. Neste caso a evolução veio contrapor a explicação antes estabelecida, que em nada se baseava, apenas na fé.

    Sim, há muitas coisas que se crêem certas na ciência e vêm depois a ser provadas erradas. Mas não creio que seja o caso da evolução. No máximo surgiria mais algum processo para complementar a selecção natural. As espécies não são fixas e imutáveis como se julgava, neste ponto não há volta a dar.

    A questão de se sublinhar fortemente a evolução, para além de ser a explicação lógica e provada para a nossa existência, como espécie humana, é que a consciencialização desta ideia irá certamente abalar os pilares de muitos crentes. A cima de tudo o objectivo é por as pessoas a pensar. Para mim até é estranho dar tanta atenção à evolução, porque sempre foi algo que tive como certo. Só agora apercebo-me do efeito que teve e ainda tem, e vai ter ainda mais, na sociedade.

    Talvez se as pessoas se consciencializarem do mito que é e deve ser a religião esta venha a tender para “a sua área de utilidade:a filosofia” – tal como tu disseste, concordo contigo. Nesse ponto, acho que não haveria mais necessidade de se chamar religião, pois o culto organizado teria deixado de existir.

  4. mastiphal diz:

    Acho sempre engraçado os crentes na religião virem suportar as suas crenças com base naquilo que foi dito na bíblia. Um livro que todos os não crentes descredibilizam…

    Deus segundo a bíblia não é todo o poderoso e todo mísericordioso em si? Então porque é que ele não erradica todo o pecado do mundo? Porque é que não elimina todos os desastres naturais? Porque é que nascem crianças defeituosas à nascença que em nada tiveram culpa para sofrerem uma vida em agonia e dor? Se Ele é contra o preservativo porque é que não faz um furinho em todos os preservativos fabricados ou por fabricar? A quem é que Ele tem de prestar contas e demonstrar que é capaz de fazer as pessoas acreditar e encaminharem-se na vida? Como já ouvi uma vez de um crente “Ah! Isto é como na tropa, por uns pagam outros”. Ora por favor, tive lá em culpa que a Eva tivesse dado uma trinca no fruto do pecado? Tive lá eu culpa do pecado original que foi cometido à 50 descendencias atrás?

    Onde estão as provas de que Ele existe? Porque não desce Ele à terra? Certamente teria imediatamente mais crentes e o Seu rebanho de fiéis aumentava exponencialmente… Ah, já sei. Estão num livro “compilado” à 1700 anos onde foi escolhido a dedo aquilo que iria lá estar de forma a agradar os senhores da altura, num livro onde não existe nenhuma cópia original hoje em dia e onde as cópias de hoje têm erros de tradução em cada página.
    Secalhar se eu escrever um lívro onde me exalto como líder supremo, daqui a 2000 anos também terei a mesma conotação que Ele tem…

  5. Ignossi diz:

    Recomendo aos estudiosos e curiosos sobre a evolução do ser humano ler a trilogia do místico italiano Pietro Ubaldi: A Grande Síntese, Deus e Universo e O Sistema que fazem parte de sua Obra (24 volumes). Nela o leitor poderá observar que inexiste incompatibilidade entre as teorias criacionista e evolucionista. Ambas ocorreram, mas em tempo e espaço diferentes. É a ciência e não as religiões que admitirá a existência de DEUS “ao jogar a toalha”. Creio que estamos muito perto disso vez que o Acelerador de Partículas LHC voltará a funcionar, em breve. Se o leitor acha que uma coisa não tem a ver com a outra, antes de formar uma opinião leia o Ubaldi.

  6. Vaticano tem que se render ao óbvio para não perder adeptos (leia-se pagadores).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: